quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O QUE É TANTRA?

Tantra é uma filosofia surgida há mais de 2.500 a.C., na região do vale do Rio Indo, onde hoje é o noroeste da Índia e o Paquistão, na civilização dos drávidas, que eram um povo bastante avançado para seu tempo, conforme comprovaram escavações e pesquisas posteriores. Os drávidas foram dominados pelos árias, que instituíram o Hinduísmo, o sistema de castas e a cultura baseada nos Vedas, os livros sagrados. Muito da cultura dos drávidas acabou sendo assimilado nos séculos seguintes, e incorporado à nova civilização, como o Ayurvèda e o Yoga, outras duas vertentes de conhecimento que estão diretamente interligadas ao Tantra.

Em sânscrito, a palavra “Tantra” significa teia, ou tecido, no sentido de explicar que tudo na vida está interligado entre si como numa teia, ou trançado como os fios de um tecido, que formam uma unidade. Desse modo, o Tantra propõe, entre vários ensinamentos, o caminho da aceitação e da manifestação do amor incondicional como alavancas para a evolução do ser. Um dos sentidos da tradução da palavra é: "aquilo que estende o entendimento". Ou o que prolonga a consciência... O Tantra sempre foi uma doutrina fechada baseada em iniciações e apenas para seguidores que se predispusessem a adotar o estilo de vida tântrico, que, por ser anterior ao período védico ainda trazia em si algumas diferenças muito marcantes do contexto hinduísta. Mesmo hoje em dia na Índia o Tantra não é muito bem visto e fala-se desse assunto com muito cuidado. Não porque se criou uma fantasia ligada a sexo sobre o assunto, mas pela consciência que há sobre a seriedade da manipulação de certas energias vitais. 

Com o passar do tempo, o Tantra chegou até nós, ocidentais, e conquistou adeptos. Hoje em dia, quando se fala em Tantra, pensa-se em sexo, posições sexuais e formas de maximizar o prazer. Mas o Tantra não está diretamente ligado a sexo, e está muito além disso. Já começa por uma premissa básica: o corpo não é visto como um obstáculo, ou como proibido, como pregam algumas correntes religiosas e de pensamento mais ortodoxo que deprecia o físico em detrimento do espiritual, como se ambos fossem desligados. No Tantra, o corpo é visto como sagrado, já que é uma máquina perfeita, na qual moramos e que utilizamos para vivenciar, experimentar, aprender e evoluir. Seguindo esse pensamento, o corpo deve ser explorado em todo o seu potencial sagrado, em todas as suas sensações e em todos as suas facetas energéticas, sendo que a sensorialidade e o sexo também são encarados como sagrados, desde que buscados com consciência, sem a banalização que se vê nos dias de hoje em nossa atualidade, que, mesmo tendo tantas facilidades para encontrar parceiros continua fazendo com que nós constatemos que existe uma falta de amor, de toque, de carinho. O Tantra vem para suprir isso em vários níveis, pois está aberto a todos os seres humanos, já que respeita a individualidade de cada pessoa e o seu grau evolutivo e consciencial.

Para o Tantra, tudo é como é, e tudo está certo como está, pois tudo é divino e tudo tem a evolução como caminho natural, sendo que o aprendizado humano é um processo infinito e contínuo. O corpo é entendido como um espaço sagrado, e como um complexo sistema que reflete em um micro-cosmo todo o macro-cosmo, dotado de consciência, e existem muitas formas de se trabalhar a energia vital visando um bem-estar e uma expansão dos sentidos, primeiramente através da consciência corporal a partir da pele e do resgate das sensações a partir da mesma. Podemos trabalhar vários aspectos, como por exemplo a massagem, a meditação, os exercícios de sinergia entre pessoas, a consciência dos fluxos energéticos e sua atuação. 

Ou seja: Tantra é uma filosofia de vida, voltada principalmente ao auto-conhecimento. Traz uma melhora significativa na capacidade de se relacionar consigo mesmo e com as pessoas, pois com uma maior consciência, a pessoa fica mais segura e mais confiante em suas escolhas.

"Esta é a mensagem do Tantra: Não viva uma vida reprimida; do contrário, você simplesmente não viverá. Viva uma vida de expressão, de criatividade, de alegria. Viva do modo como Deus gostaria que você vivesse; viva do modo natural.” Osho

Nenhum comentário: